quinta-feira, fevereiro 23, 2006

KM + BV

Mal pode acreditar quando ele a olhou diretamente nos olhos e disse:

- C'mon! C'mon!

Lá de cima, Deus observava a cena debruçado numa nuvem. O velho sorriu e torceu por ela. Lá embaixo, ela sentiu. Então, abriu os braços e deixou que a levassem até ele.

Nem a vergonha do aparelho nos dentes impediu-a de estampar um gigante sorriso. Ele a pegou na mão e arrastou-a para o centro. A mente dela logo se apagou; tudo em volta borrou-se de leite e ela começou a plainar. Nada, a não ser ele. Todas as linhas convergiam aos seus óculos coloridos...

Leve, seus braços desprenderam-se no céu. Uma trepidação gostosa sacudiu-lhe o quadril e ela começou a dançar - sem fazer força alguma, misteriosamente. Ele dizia coisas que ela estava cansada de escutar. Indiferente, ela ria e ria, como se aquilo fosse a mais deliciosa piada.

Então, quando finalmente acalmaram-se, ele se ajoelhou, fechou os olhos e escostou o rosto na barriga dela. Ela percebeu que ele estava cansado e deixou-o alí, em paz. As palavras que ele dizia agora eram encantos feitos só para ela. Ela, retribuindo, rosronou o estômago no ouvido dele, baixinho contando: - Eu também te amo.

No fim da dança, ele a levou de volta aos braços que lha entregaram. Antes, ele perguntou seu nome. Ela respondeu, e como já sabia o nome dele, não pode querer outra coisa senão um beijo.
E ganhou.

Assim foi a história da paixão mais intensa, da segunda mais aguardada do mês do carnaval, no ano da copa do mundo, no país onde Deus mora.

Ela amou-o mais que tudo: mais que ela, mais que a mãe, o pai, o marido e o filho. Mas tal amor absurdo durou apenas 15 minutos. Ou menos.

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

Rolling Stones x U2

. alopração do vocalista: RS (Mick Jagger rebola mais que as duas Sheilas do Tchan juntas. Claro, não estamos analisando a qualidade do rebolado)
. anemia do baterista: RS (Charlie Watts. Maldade minha... Na verdade, o cara é um clássico)
. presença do baixista: U2 (afinal, o do Rolling Stones é convidado - apesar de ilustre)
. solo do guitarrista: Empate (não teve nenhum. Ainda bem... Solo é coisa de geólogo, do Jimi e do Jimmy)
. português: Empate (o que vale é a intenção)
. música: U2 (Elevation. Feita para show)
. mico: U2 (Bono Vox cortando o dedo após tentativa desastrada de acender uma dinamite cenográfica enquanto estava vendado!)
. cara de mau: U2 (Adan Clayton, mas tudo virou flores depois que o Bono lhe deu um selinho)
. espanta criancinhas: RS (Keith Richards... Te cuida, Michael Jackson!)
. palco: U2 (palcos que andam acho meio brega)
. público: U2 (mais vale 70 mil empolgados do que 2 milhões de cansados)
. público 2: RS (mais vale ver o RS na faixa do que pagar duzentão e enfrentar filas no Pão de Açúcar e no Morumbi).
. figurinha: RS (Ron Wood. Feliz da vida simplesmente por ser doidão)
. mamãe quero ser charmoso: U2 (Larry Mullen e seu cabelinho lambido de gel)
. traje ridículo: U2 (a jaqueta dupla face do Bono com uma delas imitando a bandeira do Brasil).
. sósia: U2 (pois, na verdade, o Bono Vox é um disfarce do Robin Williams)
. coisinha do capeta: RS (Mick Jagger fazendo careta para "cantar")
. corte de cabelo: RS (Ron Wood e seu "visu" Chitão e Xororó. Sandy em casa: - Pai, ele é meu bisavô desaparecido?)
. voz: U2 (Larry Mullen. Cantou pouquinho, mas cantou pra cara***)
. seres imaginários: RS (Papai Noel tocando teclado)
. interação público-artista: U2 (o Bono Vox sempre apela nesse quesito)
. o capitalismo sempre vence: RS (que história é essa de área VIP num show gratuito???)

Balanço final: apesar dos pesares, ambos dinossauros valem muito a pena!!! Até mesmo pela TV...

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Por onde andará...

Taí, o famoso Stephen Fry da música do Zeca Baleiro! Ele viveu o personagem-título do filme Wilde.

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

Segredo da vida

"H2O é a fórmula da vida".
Estranho,
pois a vida, vivida, não tem fórmula.
Será isso mesmo ou
será que bebemos pouca água?

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Até tu, James!

Isso vai dar pano pra manga...

http://www.sobrecarga.com.br/node/view/9256

Perambulando...

Meio que por acaso, deparei-me com essa entrevista do Roberto Baggio à Placar. Vale a pena conferir, principalmente o que ele diz sobre o pênalti da final de 94.

http://placar.abril.com.br/novo/includes/materia/materia_326625_0.shtml

terça-feira, fevereiro 14, 2006

Pé 2 pelo Cambuci

Ontem, chegou o ônibus no Terminal Vila Mariana. Olhei aquilo tudo e resolvi:
- Quer saber, vou embora a pé.
E fui. Desci a Lins de Vasconcelos até a igrejinha. Tomei, depois, a Lacerda Franco bem na altura do cemitério. Linha reta até em casa, que fica nesta avenida mesmo.
Deu uns dois quilômetros, por aí - sou ruim de conta. Mas, foi bom. É bom caminhar, encarar a rua de sola, sem proteção da vidraça do busão.
Além disso, você acaba vendo coisas que antes eram um borro - apesar da velocidade lenta em que o ônibus vai. A pé é mais devagar ainda. Uma padaria aqui, um velhinhos simpáticos alí, um centro de estudos em Astrologia (!) acolá... Caramba!
Fora a diferença... A Lins é toda gritante, comercial, clara, suja, feia, entupida de gente e de motores. A Lacerda Franco é calada, serena, escura, aconchegante, mãezona, amiga das árvores, dos cães mijões e cheia de mistérios - não à toa que começa num cemitério.
Esse Cambuci tá ficando bacana.

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Segunda-feira 13 ou Auto-piedade

Reclamar da vida é uma das atitudes pouco louváveis que mais acomete a espécie humana. Talvez não toda; vá lá uns 90%. Estou dentro destes. Então, aqui vai minha queixa:

Viajar de madrugada durante oito horas, chegar em São Paulo com duas malas, debaixo de chuva, pegar metrô, fazer baldeação no caldeirão da Sé, descer na Vila Mariana, pagar 10zão de taxi para não encarar busão lotado, chegar em casa, tomar um banho, engolir qualquer coisa, lavar a louça, levar o lixo seis andares abaixo até o subsolo - e, então, encarar mais uma hora de circular para trabalhar mais nove horas em frente a um computador... desanima qualquer cristão, não?

E ainda vem aquela propaganda do "sou brasileiro e não desisto nunca"... É pra gente se animar ao assistir aquilo ou o redator foi o Ary Toledo, mesmo?
Aliás, reza a lenda que ele é de Martinópolis...

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Samba rock

A música de fevereiro já não é mais a mesma em nossas terras. As marchinhas, pagodes, sambas e axés do carnaval estão cedendo lugar aos dinossauros do rock.
Aliás, há um bom tempo carnaval tornou-se coisa de gringo (e não só o carioca).
Também, já há um bocado, dinossauros do rock virou coisa de brasileiro.

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Negativo

Pela mais fina linha,
invisível de tão fina,
move as oito patas
e escala, a aranha.

Pouco esforço e logo
alcança a lâmpada fluorescente, onde queria.

Negra mais que a noite,
noite como as sem lua,
deita e espalha
suas pernas abertas de pregüiça.

Observa o mundo de ponta cabeça...

mas o mundo ignora ela,
que inverteu todas as coisas
e tornou-se a estrela
apagada dum céu que em volta brilha.

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

El Niño

Rapaz, que calor!
Um dia o mundo derrete e começa a viajar em gotas pelo espaço sideral.
Quando isso acontecer, não precisaremos mais da Nasa.
Já pensou? Pensa não que é bobagem.

Mudanças

Olá, querido visitante destas bandas.
Viu só? O Eita Peste! agora é verde, a cor da esperança e do Palmeiras.
Gostou? Bom, eu achei melhor. Aquele preto total tava travando minha mente. Pesado demais; por isso, agora, essa corzinha meio parda, meio papinha de nenê, sei lá!
Apesar do novo visual, o conteúdo é o mesmo: caderno de rascunhos e observações. O que presta e o que não presta; erros e acertos; baboseiras e seriedade, tudo misturado.

Inté!

quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Dèjà vu

Cara, dèjà vu é uma sensasão muito estranha e empolgante.
Hoje tive um ao ler "... e Angelina Jolie negocia para interpretar a Rainha de Copas", no Omelete (http://www.omelete.com.br/cinema/news/base_para_news.asp?artigo=16413).