sexta-feira, abril 28, 2006

Ditado

Para bom entendedor, (caramba, foi tão fácil assim descobrir a brincadeira!) :)

quinta-feira, abril 27, 2006

O mundo dos homens

Façamos as contas baseadas em meu próprio cotidiano, exemplo mais a mão que tenho.

O dia tem 24 horas. Dizem que, para se viver bem, devemos dividi-lo em três: oito horas de sono, oito de trabalho, oito de lazer. Façamos as contas.

- Trabalho nove horas por dia.
- Tenho uma hora de almoço.
- Ida e volta, meu trajeto de ônibus é de três horas.
- Oras, não almoço em casa, além disso, só pego condução para chegar e voltar da empresa...
- Total: dedico ao trabalho 13 horas. Mais da metade do dia!

Se contarmos que, quando chego em casa, tenho que fazer janta, tomar banho, arrumar a casa e outras coisas amelísticas, o que sobra? Sobra pouco ou quase nada. É nesse espaço que faço meus desenhos. :)

Tá certo... Nem máquina agüenta trabalhar 9, 10, 11 horas sem parar. Agora mesmo, estou aqui, enrolando. Também, não estou reclamando... Ah, estou sim!; contudo, tenho consciência de que minha rotina não é das piores. Tem gente que não tem horário para ir embora. Tem gente que não vai embora quando sai do trabalho: tem inglês, faculdade etc.

O esmagador é constatar o tempo que sacrificamos para bancar as necessidades BÁSICAS da vida moderna: casa para morar, filhos para criar, rango, água, luz, telefone... É duro você enxergar que, todo esse esforço é para simplesmente manter o horizonte no lugar, sem nenhuma paisagem nova.

Poderia ser pior? Claro que poderia... Poderíamos estar vivendo em tempos de guerra, na era do gelo... Poderíamos ser formigas, que não conhecem outra coisa a não ser carregar peso para a rainha botar ovos.

Mas, cada homem é um bicho que não se contenta em ser simples célula da sociedade. Consciência é fogo! Dentro de cada um de nós habita um universo particular. E nossa vida, nossa vida de verdade, é vivida dentro deste universo.

O que sustenta nossa permanência no outro, neste comum a todos nós? Acredito que seja a cobiça de conhecer e tornar parte do seu o universo alheio. O amor, resumindo.

Por isso, é o amor é faca de dois gumes. Ampliar nosso próprio universo dá um prazer imenso, porém, a conquista nunca é completa.

Mesmo assim, é o que nos mantém humanos.

(Ave, que filosofagem de boteco!)

quarta-feira, abril 26, 2006

Palmeiras x São Paulo

Nem queria ver, mas vou acabar vendo. Pior, com um monte de sãopaulino em volta! Tem nada não... Tá no inferno, abraça o capeta! Quem sabe ele não tem a solução pra vencer o time do santo.

terça-feira, abril 25, 2006

Dois ou um?

Noite dentro
desenhando

Sono lento
vem chegando

Vou-me embora
vou dormir

Ou fico aqui
trabalhando?

Metade deita
metade pisca

Direita segura o lápis
esquerda segura a cuca...

Quem vencerá
esta luta?

segunda-feira, abril 24, 2006

Domingóvski

Pra fechar o fim de semana de feriado, ontem foi bom. Show do Tom Zé!

Aloprado, falador, desconexo, desorientado, doidão, perdidão, empolgado, apaixonado, inundado de idéias, bons músicos, um batera muitcho fera, baixão daquele jeito, backing vocal graciosa, plateia legal, Sesc Santana, que eu não conhecia! Teve mais, muito mais. Mas, deixa guardado, senão se perde.

Não bastasse, encontrei velhos amigos, povo da facul que não via há mais de ano! Natália voltou da Inglaterra e já partiu para Brasília. De mala e tudo ela e a Laila no show, que veio de Londrina ver o Vítor. Vitão, judiado, trabalhando feito um doido, é isso que dá ser recém-formado: semi-escravidão! Ana Paula, tava devagarinha, mas ela eu vejo sempre... Que seja assim com todo o resto!

"Tô te explicando, pra te confundir..."

quinta-feira, abril 20, 2006

Luz e sombra

Há pessoas que são verdadeiros poços de energia: sempre alegres, pra frente, acreditando que as coisas darão certo, que o mundo será de paz, que o homem é um bicho bom, que o céu é lindo todo cheio de estrelas, que o mar é azul e infinito, que Deus é pai e fiel... E por aí vai.

Óbvio, conviver com gente assim, principalmente se você não é tão deslumbrado desse jeito, é uma beleza. A pessoa te carrega com ela, te faz ver a vida com olhos iluminados.

Outras pessoas, são baixo astral: tudo são fezes, a teoria da conspiração age em nível molecular, Deus é um gozador, a natureza é viadagem, os prazeres são volúveis e a vida desimportante. Gente assim é um saco, mas nem sempre.

É bom, muito bom, bão demais quando um desses cabisbaixos tem um lampejo. Tanta sombra os envolve que quando algo de dentro brilha, é tão leve e forte que até parece um cometa: sai e traça um caminho tão nítido que todos em volta ficam afim de segui-lo. Venha o que vier, pouco importa.

Agora pouco teve um troço assim aqui no trabalho. Tomara que este cometa nos leve por um bom caminho.

quarta-feira, abril 19, 2006

Figurinhas


Estou prestes a fazer uma cagada monetária.

Anteontem fui à banca perto do trampo comprar o Jornal do Brasil (acabei saindo com a nova edição do V de Vingança). Eis que aparece uma mãe ansiosa e pergunta ao jornaleiro:

- O senhor tem aí o álbum de figurinhas da Copa?

- Tenho sim.

- Nossa! Me dá um... Meu filho tá desesperado por causa desse troço!

Ela pegou o álbum e foi-se. Eu fiquei, lembrando dos "velhos tempos". Toda molecada tinha esse álbum. Este que eu digo é o da Copa de 94. Todo mundo tinha! Levávamos as figurinhas na escola pra trocar, às vezes uma por uma, outras duas por uma, três, dez... Dependia do jogador.

Interessante é que muito pé torto que jamais teria destaque em campo tornava-se estrela por ser um rosto difícil de sair. Lembro do Tony Meola, goleiro dos EUA, filho da mãe... A última figurinha que consegui! Não completei o álbum. Se a memória não falha, faltam ainda 16 cromos.

Ainda mais velho que este, havia outro que eu adorava: Calafrio. Muitos devem se lembrar: era um álbum com figurinhas de monstros. Metade deles eram batizados com nomes comuns. Pedro era o mais conhecido: um guri morto-vivo segurando a própria cabeça. A outra metade era de figurinhas brilhantes, com os monstrões pintados estilo prancha de skate. O mais famoso era Dakar, uma caveira com umas faixas enroladas na cabeça. Eram as duas principais figurinhas do álbum. Também não completei. Faltou uma só, um bode cadáver da parte das brilhantes.

O da Copa 94 tenho guardado. O Calafrio, perdi. Tenho ainda três ou quatro daqueles que vinham no chocolate Supresa, e outros que vinham nos salgadinhos Elma Chips.

São as pequenas coisas que fazem um cara feliz. Era emoção de verdade abrir o pacotinho e tirar uma daquelas que ninguém tinha! Você se sentia um cara importante, possuidor de uma raridade. Forçando a barra, nos ensinava a valorizar os bons momentos e desprezar a rotina.

E agora? Compro ou não esse 2006? São quase 600 figurinhas! Cada pacotinho custa 50 centavos... Vai ter que ser tudo do bolso, pois será difícil arrumar alguém que queira trocar as repetidas. Não adianta a gente simular a infância, porque ela não volta.
Mas, nem é esta a intenção. Só gostei de ver aquela mãe toda atrapalhada e feliz para comprar uma "porcaria" de um álbum de figurinhas para o filho. Tomara que ele o complete e o guarde com carinho.

segunda-feira, abril 17, 2006

Velhos tempos...

Chega de Bruce Wayne.
Dark Knight returns.

sexta-feira, abril 07, 2006

Noite do Senhor

Tão cheia fica a porta
que vaza e cai na avenida.
O trânsito pára e espera
os fiéis enfiarem-se lá dentro.
Tanta gente tem
que o pastor, empolgado,
pensa que prega no próprio
Templo de Jerusalém.
Amém! Aleluia! Hosana nas alturas!
e Ele afasta todas as agruras,
tanto oram que a hora passa e não se vê.
O trânsito de novo entope-se de Evangelho.
Voltam felizes, a Palavra no sovaco,
repartindo-se pelas ruas,
enchendo as conduções,
em nome de Jesus.

quinta-feira, abril 06, 2006

E...

Outras horas o que bate mesmo é o sono.
Se estivesse em casa, eu já estaria dormindo.
Como não estou, pesco - sem nem precisar de isca, água ou peixe.

[Bocejo]

Fatal Fury

Têm horas que bate uma fúria por dentro que dá vontade de arrancar a cabeça do lugar e socá-la na parede, até que só reste os miolos enxarcados de sangue escorrendo pelas mãos.

Mas, a gente sabe de antemão que isso dói. Então, não faz é nada.
E o mundo segue com todos de cabeça bem posta, em cima do pescoço.

Do inferno

Ah! Rolo da bixiga!
Um dia ainda sento a bica em tudo e mando pra estratosfera, lá perto do major Marcos Pontes!

quarta-feira, abril 05, 2006

Tilt

Tô meio avoado ultimamente.
Sabe quando tem um monte de coisas dentro e você não quer soltar nenhuma, porque elas estão bem onde estão? Então.

Avoado, por quê? Porque fico curtindo...

segunda-feira, abril 03, 2006

Mundo dos quadrinhos

Eu, como um cara que gosta de quadrinhos, fico feliz e triste pelas inúmeras novidades que as editoras andam soltando, todos os meses, em bancas e livrarias.
Feliz porque as opções nunca foram tantas e tão boas.
Triste porque é tudo muito e muito caro! Simplesmente não dá para comprar.
Pelo menos isso exercita nosso desapego aos bens materiais, e eu não estou sendo cínico quando digo isso.

Na lista, porém, estão:
. Corto Maltese
. Avenida Dropsie
. Deus 1 e 2

Fora as de todo mês:
. Demolidor
. Aventuras de uma criminóloga
. Lobo Solitário

E as de vez em quando:
. Mágico Vento
. Um ou outro especial da Panini
. O melhor da Disney: histórias completas de Carl Barks
. Uma ou outra da Turma da Mônica