quinta-feira, dezembro 30, 2004

Tsunami

Veio uma onda forte
e levou tudo embora consigo.

terça-feira, dezembro 28, 2004

Tiro certo

Frase de Antonio Leal, o Tonho, meu amigo véio: "Não deixe a inércia te levar, nem o impulso te foder".

segunda-feira, dezembro 27, 2004

Matemática

Nada deixa minha mente mais azucrinada que um bando de números.
No mar, os peixes pequenos andam em cardume para confundir o predador, que, naquele bolo, não sabe quem é quem...
É assim. Eles juntam-se, os números, e não adianta: tento somar este com aquele, subitrair, dividir e os cambáu... O resultado é sempre errado. Derrota, mais uma vez!
Nem calculadora resolve. Ajuda, mas não soluciona.
O que faço é pedir auxílio a uma alma caridosa por perto: "Meu, vê aí... Tá certo?" E, se o cara fala que tá, eu acredito. Quem sou eu para negar?
Quando inventaram os números... É por isso que eu os respeito.

sábado, dezembro 25, 2004

Dúvida natalina

Se os anos são divididos em "antes" e "depois" de Cristo, o nascimento de Jesus não deveria representar o primeiro dia do primeiro ano da "nova era"?
O Natal, então, teria de ser no dia 1º de janeiro! Não é?

Mesmo assim, feliz Natal, aqui no dia 25 mesmo...

segunda-feira, dezembro 13, 2004

Golpe de sorte ou A importância de se ter uma beldade por perto

- Truco!
- Seis!
- Seis?
- É! Seis, pato!
- Não, meu... Seis, não!
Ficou preocupado. Blefava.
Do lado da mesa, então, passou uma moça bonita. Todos olharam...
O parceiro puxou uma carta escondida na manga. E berrou:
- Nove!
- Nove?
- É, seu peixe... Nove!
Toparam, e quem topou, perdeu - e pagou a conta do botequim. Era o trato.

Arrigo Barnabé

Hoje, às seis da tarde, teve apresentação do citado, no Zerão, aqui em Londrina. Comemoração de 24 anos do Clara Crocodilo.
Fui, voltei bem antes do fim.
Peço desculpas à música brasileira, mas achei um pézinho no saco!
Daqui uns cinco anos escuto de novo. Quem sabe, quem sabe a Clara me conquista.

domingo, dezembro 12, 2004

No jantar

- Blurp!
- Porco!
- Respeito, menina... Sou teu pai!
- Ai, que horror...

sexta-feira, dezembro 10, 2004

Pós-moderno

Pós-moderno é jogar Need For Speed Underground ouvindo Johann Sebastian Bach.

quarta-feira, dezembro 08, 2004

terça-feira, dezembro 07, 2004

Quase um susto

Tarde da noite. O sono não veio.
Levantou-se e foi beber um copo d'água.
Parou no meio do caminho. Um som estranho vinha da sala...
Era a Morte,

sua gatinha.

É hoje!

É hoje! É hoje, a apresentação do meu TCC...

Vamos ver o que é que vai dar.
Depois eu posto (posto?) aqui o que é que deu!

sexta-feira, dezembro 03, 2004

Padroeira

Dois de dezembro, dia de Santa Bibiana, padroeira de Martinópolis...

quinta-feira, dezembro 02, 2004

Post Mortem 2

Sentou-se, tranqüilo, e decidiu que iria se tornar fechado.
Passou três anos sem se mover.
Os pés foram os primeiros.
Depois as pernas, as mãos e os braços enrijeceram.
O abdôme secou; as entranhas pararam de trabalhar.
A respiração ficou lenta, lenta e mais lenta, cada vez mais.
O coração aquietou-se. O sangue dos vasos engrossou.
As mucosas incharam. O tato, a audição e todos os outros sentidos adormeceram.
Os olhos fecharam-se, naturalmente.
Os neurônios, aos poucos, desconectaram-se...
Quando o cérebro todo desligou, bateu um vento forte, que lhe penetrou os poros e orifícios...
Entrou e saiu.
E o molde que alí restou soltou um assovio, sem fazer força nenhuma.

quarta-feira, dezembro 01, 2004

Post Mortem

Ela parou na entrada da sala e disse.
- Está calado ultimamente...
Ele não respondeu.
- O que é que você tem?
Nada. Continuou imóvel.
- Ei!
Ele, então, fechou os olhos, suspirou... e morreu.
Ela sorriu, pois achou que o marido tinha se tornado uma samambaia.

Frase medíocre

Retirada dum cartaz, em frente a catedral de Martinópolis...

Dízimo: Deus ama quem dá com alegria!