domingo, setembro 25, 2005

Pedala Rubinho!


Vai, meu garoto!
Pega essa carroça vermelha e transforma ela num foguete!

sexta-feira, setembro 16, 2005

Teste

Vê se você acha que o seguinte diálogo é coisa de criança:

Fone Bone: "Vocês dois são de matar! Não têm um pingo de vergonha por lucrar com os temores e as paranóias dos outros."
Phoney Bone: "Não, não temos a melhor vergonha. A gente só está dando o que eles querem. Se querem ser vítimas, que sejam!"
Smiley Bone: "Ninguém se sente seguro a menos que tenha alguma coisa contra o que estar seguro".
Phoney Bone: "Exatamente! As pessoas gostam de ser vítimas! Há uma certa inabalável superioridade moral nessa condição..."

É ou não é legal, apesar se ser um pouco "filosofia barata"?
Então, meu véio! Vai ler quadrinhos!

quinta-feira, setembro 15, 2005

Os burrocratas

Quem conhece São Paulo sabe que virou uma espécie de marca registrada da região as barraquinhas de livros da Paulista e Rua Augusta. Pois é, agora não tem mais isso não.

Na verdade, não cheguei a prestar atenção e conferir. Mas, segundo uma reportagem da Folha de S. Paulo de hoje, a prefeitura retirou todos os ambulantes no dia sete passado, alegando que eles não possuiam um tal "Termo de Permissão de Uso" (TPU).
Até aí, vai - apesar de eu achar que o CIDADÃO poderia muito bem retirar esse Termo sem precisar ser "convidado" a se retirar.
O grave vem agora. Deixo com a jornalista Daniela Tófoli, dona da matéria:

"Há 12 anos na Augusta, os dez vendedores tiveram as obras apreendidas. Adriano Lima, 31, ficou com alguns livros em casa, mas teve raridades levadas, como um sobre a prostituição de São Paulo escrito por Guido Fonseca e um exemplar de 1977 autografado por Hilda Hilst. Ele tentou barrar a ação dos guardas-civis. Acabou algemado e citado na delegacia num termo de crime contra a administração pública e resistência".

O rapaz que foi algemado comenta: "Os guardas não sabem a diferença do CD pirata para o livro raro usado. Acham tudo contrabando, nos trataram feito marginais."

A burocracia é burra por isso. Transforma tudo numa pasta e impõe a mesma regra para coisas completamente diferentes.
Depois a Polícia fica revoltada quando a população iguala todos os seus membros à condição de ladrões, assassinos e bandidos. Eles fazem o mesmo!

Na verdade, todos nós fazemos ... E é preciso um exercício gigantesco para evitarmos essa atitude. É engraçado, pois a cultura ocidental é baseada no individualismo. Vide o Juízo Final: cada um é responsável pelos próprios pecados e é julgado somente por eles. Meu pai, por exemplo, não vai para o Inferno por causa das minhas cagadas.
Por que será que essa contradição acontece?
Deixa eu parar, senão vai começar a feder.

Na conclusão da matéria, a repórter diz: "O material recolhido, explica a assessoria da subprefeitura, pode ser recuperado se os livreiros comprovarem que são donos dele, mas ainda não há previsão para a abertura de inscrição para conseguir o TPU".

Acho que esse pessoal vai ter de sobreviver de outro jeito.

quarta-feira, setembro 14, 2005

Sobre o Partido dos Traidores

Já devem ter feito esta analogia do título. Mas, repito aqui, pois ela é mais que verdadeira. Afinal, jamais um partido traiu tanto a confiança de seus eleitores quanto o PT.
E olha que não foram poucos os "trouxas". Lula foi o presidente mais votado da história brasileira. Enganaram milhões. Tapearam gente que enxergou num metalúrgico a tal esperança que venceria o medo. Negaram sua história. Negaram a trajetória de rebeldia de seus próprios membos. Acabaram traindo a si mesmos.

Zé Dirceu era guerrilheiro. Agora, apesar de ter se transformado no odiado-mor da nação, não perde a pose e - pior-, ainda comanda o partido. Sinal de que o restante do PT, se não é ladrão, é frouxo. Eu já tinha feito minha malinha (ôpa! mala no bom sentido) e saído fora.
Genoino foi preso na ditadura militar... Agora, acha que todo mundo é besta e alega não saber de nada. Ou ele não tem cérebro ou habita outra dimensão, não é possível...
E o Lula... Vocês se lembram da posse? Uma loucura! O povo em catarse! Quase derrubaram-no do carro de tanta euforia... Que decepção. Admiro de o presidente ainda ter tanto apoio... É gente gritando seu nome por onde quer que ele vá; o MST evitanto bater de frente; os políticos morrendo de medo em falar no impeachment... Quando vai vir um chutar o balde e dizer boas verdades, sem rodeios?

Maluf, ACM, Valdemar Costa Neto, Roberto Jefferson... Olha os amigos do PT! Corja que comandaria qualquer quadrilha desse mundo. Deu a mão para bandido, perdeu o braço!
Quietinhos também estão os intelectuais que sempre apoiaram o Lulalau: Chico Buarque, Leonardo Boff, Antônio Cândido e por aí vai...

Partido dos Traidores, lembre-se a quem está reservado o último círculo do Inferno.

segunda-feira, setembro 12, 2005

Sonho de consumo


Queria ver um desenho-animado dirigido pelo Tim Burton, com traços do Tim Sale e trilha sonora com músicas do Alice in Chains.

Aliás, entre aí:
www.timburton.com
www.timsale.com
www.aliceinchains.net

sexta-feira, setembro 09, 2005

Quadrinhos e mais quadrinhos

Caramba! Porque sou pobre?
Passo nas bancas e livrarias e fico doido! Tanta coisa bacana, pedindo para ser levada para casa e debulhada até criar orelhas e amarelar...
A questão é que, além do dinheiro ser pouco, quadrinhos virou produto luxuoso. As edições estão cada vez mais bonitas. As capas, o papel, os desenhos estão cada vez mais chamativos. O roteiro, verdade, nem sempre colabora, mas isso já é outra história...
Vá as bancas e pergunte o preço de uma edição mensal do Tio Patinhas: R$ 5,50! Algo mais, digamos, refinado, As Obras Completas de Carl Barks: R$ 14,95! E esta sai de quinze em quinze dias. Portanto, 14,95 x 2 e você percebe que tem de rebolar muito para adquirir uma obra-prima com o salário do mês.
Se fomos comentar os quadrinhos publicados em livrarias, então... Só como exemplo, a Opera Graphica lançou a Bizarro Comics, uma sátira aos personagens da DC feita por mestres do underground norte-americano. Interessantíssimo, delirante, apaixonante e extremamente caro: R$ 69,00!!! Não tem bolso que agüenta... Até os sebos (o cúmulo!) viraram elitistas.

O que ferra nos quadrinhos é o vício. Quadrinhos vicia que nem novela. O cara fica condicionado a consumir aquilo. Afinal, não pode deixar para depois, pois os dias passam e as edições somem das bancas. Não é à toa que a maioria das histórias não terminam numa só edição - alongam-se por vários números... O leitor fica sempre no suspense, a história nunca se completa e, por isso, o vício nunca acaba.

Uau! Acho que exagerei... Nem todos os gibis são assim hoje em dia. Mas o exagero é válido, pois ressalta os pontos principais e este é um deles na indústria dos quadrinhos. Porque, no Brasil, tirando a Turma da Mônica e as editoras que trabalham em livrarias, as HQs não conseguem se solidificar?

A resposta fica para um outro dia. Deixa eu pensar.
Aliás, essa Turma da Mônica tem mais coisas do que sonha nossa vã filosofia. Como ela consegue?????

sexta-feira, setembro 02, 2005

Notas paulistanas 4 - O apaixonado arrependido

Vindo para o trabalho, dentro do busão, passando pela Paulista, não me lembro em que altura, deparo-me com duas moças segurando uma faixa no canteiro central. Mais ou menos assim:

(coração vermelho desenhado) "Por favor, me perdoa!" (coração vermelho desenhado)

E dentro do coração, algo do tipo: "Ele te ama".
Automaticamente, depois de ver isso, logo balancei a cabeça, negando tamanho vexame público.
Um senhor que estava do meu lado (povo sem educação, ninguém se levantou para ele sentar) olhou para mim e deu risada, dizendo: "É cada coisa que aparece!"

E aí, meus caros e caras... A guria deve ou não voltar para o fulano da faixa?
Eu e o senhor do ônibus fomos unânimes: NÃO! Além de ter aprontado com a menina ( ^..^ ), o cara faz ela passar vergonha na mais conhecidade avenida do país! Cagou na entrada e, provavelmente, na saída!!!

***

Mas o senhor do busão disse uma coisa certa: "Pelo menos ele deu emprego para as duas mocinhas que estão segurando a faixa". Eita Brasil!

quinta-feira, setembro 01, 2005

Outra dica

Três norte-americanos decidiram, por diversão, seguir os passos do furacão Katrina.
Li pouco, mas parece ser bacana - esses blogs "em tempo real" sempre são, pois funcionam como uma espécie de "por trás da notícia".

Acesse: http://dancingwithkatrina.blogspot.com

Em especial, leia a homenagem às vítimas do furacão.